Dados Históricos

A cidade de Cruzeiro do Oeste, criada na metade do século passado por iniciativa do Estado no então governo de Bento Munhoz da Rocha Neto, teve como motivação a necessidade de se criar um pólo avançado para a colonização de uma vasta região do Estado do Paraná, a ocupação do solo e seu aproveitamento com notável repercussão sócio-econômica.

Com suas terras férteis, Cruzeiro do Oeste, desde sua fundação, assentou suas bases para o desenvolvimento na exploração da terra. Daí pode-se concluir que é uma região essencialmente agrícola.

Passou a fazer parte da história do Estado do Paraná em 14 de novembro de 1951, com a Lei n.º 790/51, de criação do Município de Peabiru, no dia 25 de agosto de 1952, data da fundação de Cruzeiro do Oeste.

Somente em 28 de novembro de 1954, pela Lei Estadual n.º 253/54, é que Cruzeiro do Oeste se emancipa politicamente, e em 3 de outubro de 1955, foi eleito o primeiro prefeito do município e a primeira Câmara Municipal.

No dia 17 de novembro do mesmo ano ocorreu a instalação do Município, assumindo o cargo de primeiro prefeito da cidade o Sr. Aparício Teixeira D’Ávila.

Cruzeiro do Oeste começou a se desenvolver e de um simples lugarejo, que servia apenas de pousada, tornou-se uma cidade com a necessidade de aqui se instalar os poderes constituídos.

No dia 25 de agosto de 1960, foi instalada a Comarca de Cruzeiro do Oeste por Sidney Dietrichi Zappa, sendo o primeiro juiz de direito Osires Antonio de Jesus Fontoura e o primeiro promotor da justiça Pedro Vieira.

 

A História

Apesar de figurar em seu nome a palavra “Oeste’’, Cruzeiro do Oeste, está situado na região noroeste do Estado do Paraná.

Nesta região, onde se localiza Cruzeiro do Oeste, os primeiros habitantes foram os índios Guaranis e Xetás.

Os italianos, espanhóis, portugueses, alemães, poloneses, sírios, libaneses e japoneses vieram à procura de terras, devido ao solo fértil para a plantação de café, que predominou nesta região.

Também houve grande massa de população vinda dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Região nordeste.

Os europeus, os asiáticos e os migrantes constituíram o essencial para uma mescla de sangues e de culturas que se desenvolveram em Cruzeiro do Oeste.

Cruzeiro do Oeste foi durante a década de 60 até meados da década de 70 um município próspero e rico, com a exploração da madeira e ciclo do café.

A partir de 1975, depois da grande geada e com a erradicação do café, o município começou a empobrecer.

O mesmo aconteceu na região noroeste, que posteriormente concentrou a economia na atividade da pecuária.